segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Styxx - 3º Excerto


23 de Junho de 2012


Styxx congelou ao entrar na sua tenda e encontrar um demónio Charonte sentado na sua cama, encarando-o com uns grandes olhos vermelhos. A última vez que tinha visto Simi ela tinha-o rasgado aos pedaços e deixado... morto.
Movendo-se o mais devagar que podia, ele pôs a mão no revólver de calibre 38 que mantinha num coldre que descansava na sua cintura. Não a mataria mas daria-lhe tempo suficiente para escapar caso ela tentasse atacar novamente. Ele fazia questão de manter Skylos lá fora onde o demónio não o podia magoar.
Para sua completa surpresa, ela sorriu alegremente. "Olá, cópia do akri."
Super confuso, Styxx mirou-a. "O que queres?"
Ela suspirou profundamente. "A Simi veio pedir desculpas pelo que fez. Mas entende, tu magoaste o meu akri e a Simi ama o seu akri tanto que se alguém atacar o seu akri é comido, entendes?"
Nem por isso.
Ela levantou-se.
Agarrando a arma, Styxx recuou uns passos.
O demónio inclinou a cabeça e franziu a testa. "Ficas tão estranho assim. Porque usas maquilhagem nos olhos, cópia do akri?"
Ele encolheu os ombros. "Protege-os do sol."
"É por isso que usas óculos de sol, tonto. Nunca ninguém te disse isso?" Ela agachou-se e apanhou a sua mochila vermelha em forma de coração que tinha asas de demónio pretas a saírem dela. Ela enrugou o nariz e mostrou-a. "Não é fofa? A akra-Danger deu-ma no Natal. Vamos ver...." Ela mexeu na bolsa até tirar de lá uma garrafa de molho barbeque com um laço decorativo. "Feliz aniversário, cópia do akri!"
Quando ele não aceitou a oferta o sorriso dela desapareceu. Ela aproximou-se e rapidamente ele andou dois passos para trás.
Os ombros e as asas delas caíram enquanto fazia beicinho. "Porque ficas tão assustado com a Simi?"
"Não sei. Chama-me de estúpido mas da última vez que nos encontramos, mataste-me."
As asas dela decaíram mais. "Eu seu. E foi errado ter feito isso a ti. Mas isso foi antes de teres salvado o akri e a akra-Tory. Por isso a Simi ficou feliz de não teres ficado morto e promete não te matar mais. Amigos?"
Styxx não sabia o que pensar da filha demónio do seu irmão. Ele sabia das memórias do Acheron que ela era completamente dedicada ao seu irmão. Ao contrário dos humanos, ela não era desonesta, calculista ou complicada. Com a Simi era tudo preto no branco. Ela ou odiava ou amava.
Largando a arma, ele agarrou a garrafa de molho barbeque. "Obrigado, Simi."
As suas asas subiram imediatamente assim que um sorriso se desenhou na sua face. "É o favorito da Simi e ela apenas o dá a pessoas de qualidade especial. Vê... " Ela apontou para o rótulo. "Quente, quente, quente... embora esteja quente aqui, por isso nem vais precisar dele. Mas fica bom com tudo." Ela mostrou-lhe um sorriso largo.
Ele inclinou a cabeça na direcção dela. "Eu apreciei bastante o gesto. Muito obrigado."
Ela inclinou a cabeça e franziu a testa, novamente. "Porque estás tão triste, cópia do akri? Tens dores no teu coração?"
Isso era um eufemismo. "Estou bem, Simi."
A expressão de desconfiança desapareceu enquanto ela olhava para a tenda. "Quem vai celebrar o aniversário contigo?"
Styxx suspirou. "Eu não celebro aniversários."
Com os olhos arregalados, ela embasbacou-se. "Não! Os aniversários são sempre especiais porque são os dias em que foste trazido ao mundo e as pessoas ficam felizes quando os bebés  nascem."
Sim... não na sua experiência.
Styxx descansou a garrafa perto da sua mochila. "Deves voltar para o Acheron antes que ele dê pela tua falta."
Em vez disso, ela sentou-na na sua cama.
Era o vez de Styxx franzir a testa. 
"O que estás a fazer?"
Ela abriu a sua mochila outra vez. "O akri tem muita gente a celebrar o seu aniversário e a cópia do akri não tem ninguém. Isso faz a Simi triste pela cópia do akri. Ninguém deveria estar sozinho de seu aniversário por isso..." Ela tirou uma embalagem de Ding Dongs e deu-lha. "Temos bolo de aniversário!"
Styxx sorriu ao gesto inocente. "Nunca tive um bolo de aniversário antes."
"Nunca?"
Ele abanou a cabeça.
Ela pressionou o dedo indicador nos lábios numa expressão adorável. "Precisamos de velas mas tu és tão velho que precisávamos de uma bolo do tamanho de um... porta-aviões... Hmmm... tudo bem." Ela mexeu na bolsa e tirou um glowstick. "Vamos fingir que isto é uma. Não podes apagá-la mas imagina que consegues. Está bem?"
"Claro."
"Okays. Agora senta-te cópia do akri."
Styxx sentou-se à frente dela enquanto ela abria o pacote com cuidado e deixava o bolo em cima dele. Depois ela partiu o glowstick e abanou-o. "Agora podes pedir o teu desejo e apagar a vela." Ela agarrou o glowstick perto da sua cara.
Styxx soprou-a.
Ela franziu os olhos desconfiada. "Não pediste um desejo, pois não?"
"Não tenho nada que desejo."
As coisas que ele desejava não poderia ter e nada mais parecia ser importante.
"Toda a gente deseja alguma coisa, cópia do akri."
"Eu não sou toda a gente."
Eu sou ninguém.
Simi pegou na sua mão e colocou o seu bolo nela. "Então a Simi vai pedir o desejo por ti. A Simi deseja que sejas feliz como ela e o seu akri."
Ele sorriu a forma infantil como ela via as coisas. "Obrigado, Simi."
Ela agarrou o bolo dela e comeu de uma vez só. "Tens de o comer de uma só vez." Disse coma  boca cheia. "Como não temos velas para apagar temos de comer tudo de uma vez para o desejo se tornar realidade."
Ele riu-se e enfiou o bolo na boca.
Simi lambeu os dedos e abanou a cabeça. "Bom, não é?"
Ele engoliu o bolo. "O melhor de sempre."
Simi pôs-se de joelhos e beijou-o na bochecha e por fim abraçou-o. "Se quiseres, akri-Styxx, a Simi também te pode amar. Porque os corações são coisas maravilhosas. Eles conseguem ficar maiores para fazerem espaço para as novas pessoas que amas ficarem perto das pessoas que amavas antes." Ela tocou no peito. "A Simi tem muito espaço para ti... se quiseres."
Styxx estava impressionado com ela. O seu irmão era um sortudo por ter Simi ao seu lado todos estes séculos. "Eu gostava bastante que isso acontecesse."
Ela abraçou-o outra vez e deu-lhe uma palmada nas costas. " Okay, a Simi tem de ir agora mas ela volta para te ver em breve. E lembra-te akri-Styxx que os desejos são coisas poderosas, coisas poderosas que se tornam realidade se acreditares neles. E a Simi acredita que vais ser muito feliz, muito em breve. Adeus." Ela foi-se embora.
Sorrindo pela visita inesperada, Styxx pegou no pacote e deitou-o fora. 
Ele deixou Skylos entrar na tenda mas ainda não sabia o que pensar da visita de Simi. De certeza que o seu irmão iria passar-se se descobrisse que ela tinha visitado.
Mas tinha sido uma boa surpresa. Nunca ninguém se lembrava do seu aniversário, não desde que Bethany tinha estado com ele. Ele nem sabia que seria hoje se a Simi não o tivesse visitado. Não que importasse. Com a idade que tinha qual era o objectivo de os contar?


Sem comentários:

Enviar um comentário