quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Diário Secreto do Acheron 2006




15 de Janeiro: O Dia Posterior 
Obviamente, sobrevivi ao Ano Novo ainda que, de retrospetiva, não sei como. Já tentaram convencer um demónio de que não se come a maçã de Eva da Passagem de Ano? 
Não é agradável. Principalmente quando a Simi quer ajudar a comê-la. Pensei que me havia encarregado disso, até receber uma ligação de Alexion logo na primeira hora da manhã, na qual me dizia que havia uma enorme bola de cristal Waterford no quarto de Simi. 
Aparentemente queria que ele a ajudasse a pendura-la. Acho que a conversa foi algo parecido com isto... 

- Uhm, Simi, creio que eles vão precisar disso. - Assegurou Alexion. 
- Nuh-uh. Não até o ano que vem. Mas eu preciso dela agora mesmo. Ela ficará linda no meu quarto. Olha - disse segurando-a. - Não é linda e brilhante? É perfeita para mim. Faz com que todas as minhas coisas brilhem. 
- Sim, mas Simi tu sabes que se colocas isso no teu quarto, a tua irmã Xirena vai querer uma também... igual a essa. 
- Oh, mas ela não pode ter. 
- Não queres que a tua irmã tenha coisas bonitas? 
- Sim, acho, mas este é meu... - Simi fez beicinho. 
- Mas há apenas um desses e se ela o vê, também vai querer um. Não vais partilhar? 
- Não! Este é da Simi! 
- Então, o que faremos para evitar que a Xirena o veja? 
- Bom, precisamos esconde-la. 
- Exatamente, e eu conheço um lugar perfeito. 
- E qual é? 
- O Armazém Nova York. 

Tenho que dar crédito ao homem, ele sabe como manipular os demónios. Mas acho que a Danger o ajudou. Ele está realmente a amadurecer. Noutra altura, ele simplesmente tirá-lo-ia em surdina e levava-o embora. Agora é um negociador muito melhor. 
Hmmm... talvez devesse pedir-lhe umas aulas. Há outro demónio ruivo que conheço, que me deixa louco quando tento negociar. 


13 de Fevereiro: Um Ato de Bondade

Estava a ter problemas para dormir nessa manhã e decidi dar uma espreitadela aos Caçadores, só para encontrar um presente à minha espera. Uma simples rosa. É estranho, a forma como um simples presente inesperado pode fazer com que alguém se sinta bem. Eu acho que as pessoas costumam esquecer-se disso. Muitas vezes na minha vida, um simples sorriso fez a diferença. Um simples ato de bondade, e não quero dizer algo importante. 
Algo tão simples como abrir uma porta, e só dizer “olá”. As pessoas levam as cicatrizes enterradas muito profundamente dentro delas. Ninguém sabe a dor que muitas vezes se esconde atrás de um sorriso tímido ou de uma breve saudação. 
Amanhã é dia dos Namorados. Comprem uma bolsa de Hershey’s e deem um beijo em todas as pessoas que conhecerem que vos façam felizes. Desejem o bem. Lembrem-se que a bondade custa muito pouco para quem a dá, mas pode significar o mundo inteiro para quem a recebe. 
Feliz dia dos Namorados a todos. Espero que encontrem calor e sorriam todo o dia. 

Paz. 


3 de Março: Uma noite em Detroit

O que está a acontecer com os Daimons em Detroit? Eu juraria que alguém lhes deu esteroides ou algo parecido. Eles fizeram um número de baixas enorme nos Caçadores da área. Pelo menos até que se cruzaram com Samia. LOL. Não me perguntem o que fez Artemis para encontrar as suas Amazonas. Elas são lutadoras incríveis. Ela passou por eles como uma faca pela manteiga. Diria que a treinei bem, mas ela mesma entrou neste mundo como uma lutadora veterana. 
O resto dos Caçadores está em recuperação. Assim esta noite Sam e eu iremos fazer a ronda. Faz frio, mas não demasiado. Simi saiu e depois decidiu que não gostava nada de vacas para fazer churrasco e fazia frio demais para usar roupas góticas. Eu pensei que tinha visto demais para o meu gosto. Mas segundo ela, as roupas faziam-na muito gorda. 

Deus não permita que tenhamos uma demónio gorda. 


16 de Abril: Feliz Páscoa
Finalmente aprendi que a única coisa pior que um demónio a perseguir ovos, são dois demónios a persegui-los. 
Tentar explicar as tradições de Páscoa a Xirena foi realmente um desafio. Tinha conseguido que Alexion comprasse um monte de coelhos de chocolate que elas devoraram num tempo recorde. As pobres criaturas não tiveram nenhuma oportunidade. 
Depois veio o maior banquete de todos os tempos. Passamos o dia com Dante até que Pandora se assustou um pouco pelos seus filhotes. Não que a culpe, dada a maneira que Xirena olhava os bebés. Eu mesmo estava um pouco assustado. Assim resolvemos voltar a Kalosis, onde Danger as ensinou como fazer ovos Polacos. Fascinante até Xirena descobrir que gostava de comer os ovos crus, com casca e tudo. Yeah. 
Pelo menos sobrevivi ao dia. Maravilhoso por do Sol. Acho que vou espreitar o Styxx e ver se já se levantou. 

Paz. 


6 de Maio: Reflexos

O dia das Mães já está a chegar outra vez. Estranha comemoração esta. Por mais estranho que pareça, Simi pensa em mim como ambos, pai e mãe, e por isso, quer dar-me sempre um presente extremamente feminino neste dia. Houve um ano em que ela me deu um pijama rosa. 
Eu nem uso pijama, ainda por cima rosa? Yeah. 
Este ano deveria ser diferente, com Xirena a reforçar o facto de que eu não sou a mãe de Simi. Cada vez que Simi diz algo remotamente similar a isso Xirena perde a cabeça. 
Nem falemos sobre a coisa do “papá”. Mas depois, recordo-me que, eu e Alexion somos os únicos pais que ela conhece. Ela era muito nova quando os pais morreram para chegar a chamá-los dessa maneira. Isso entristece-me. Eu desejaria poder dar-lhe esse presente. Ninguém deveria ficar sem conhecer o toque de amor de uma mãe. 
Desafortunadamente, muitos de nós não conhecem. 
Minha frase favorita do filme “O Corvo”. “Mãe é o nome de Deus nos lábios e no coração dos filhos” Isso é verdade. É fácil para os pais esquecerem que eles crescem durante a luta diária da vida. Eu nunca tive infância. Nunca tive uma mãe. Creio que é por isso que é tão importante para mim ser o melhor pai e mãe para Simi. 
Quero que ela conheça o amor. Que o entenda. Foi por isso que fui tão duro sobre o que aconteceu com Nick. Mesmo ela sendo, tecnicamente uma adulta, ele acabou com a sua inocência. Com a sua infância. Eu não esperava que ela fosse nada mais do que a minha pequena filha demónio, que necessitava da minha proteção. Ele fez-me enfrentar o facto que a Simi já é adulta e dona da sua própria vida. Parte de mim, mas ao mesmo tempo completamente separada de mim. Ela tem sua própria mente. 
Mesmo assim odiei-o por isso. Mas tenho que deixar passar. Tu não podes proteger os teus filhos para sempre. Cedo ou tarde, têm que dar o espaço que necessitam e deixá-los livres. 
Estas palavras são muito mais fáceis de dizer que fazer. Simi é a única coisa no mundo que foi minha. A única que me amou completamente de forma incondicional. Ela nunca vê as minhas falhas. O meu passado. Ela não me retém contra minha vontade. Ela não tem medo de mim. Ela não se zanga comigo. Ela é simplesmente assim. 
Pergunto-me sempre quão diferente teria sido a minha vida se tivesse tido a minha mãe comigo e ela pudesse ter-me criado. 
Se tivesse conhecido o seu amor ter-me-ia convertido no que é Artemis? 
Por tentar proteger-me, a minha mãe estragou tudo. 
Tal mãe, tal filho. Devia ter pensado nisso quando tentei proteger Simi. Eu mais que ninguém começo a entender a repercussão do Destino. Agora coloquei em movimento algo que realmente me aterroriza, algo que não conhece o medo. Não posso ver o que está para acontecer. Mas posso sentir o ódio que emana de uma fonte que não se deterá até que se sinta justificado. Não sei o que vai fazer Nick. De facto, nem sequer sei o que eu vou fazer. Não posso desejar que a pena e a culpa me detenham de fazer o que deve ser feito. Aproxima-se, eu sei. O que não sei é quando, e como. Mas está a vir. 

Que os deuses tenham piedade de todos nós. 


22 de Julho: Meninos

Há poucas coisas na vida que desfrute mais que jogar xadrez no parque com meu velho amigo. Uma vez que ele é cego, é um dos poucos amigos humanos. Tenho sido capaz de mantê-lo sem que saiba quem sou há muito tempo. Isso é refrescante. Ele pensa que sou tão velho como ele, o que de certa forma está certo, mas não da maneira que ele pensa. 
Quando jogamos no Central Park, eu observo as crianças ao nosso redor. Elas são agitadas e barulhentas. Nunca tive uma infância assim. Correr ou brincar era proibido. Ser barulhento... nem sequer quero pensar nisso. No mundo da minha infância era melhor permanecer em silêncio, mas se me dirigiam a palavra, só podia responder em tom moderado ou em sussurros. 
Lembro de Nick me contar como ele e a mãe corriam a descer a rua Bourboun de noite. Como riam e brincavam. Mais que tudo, lembro de Nick me dizer que morreria se algo ocorresse a Cherise. Quão profético de sua parte. 
É uma pena que ninguém, nem mesmo um deus, pode reviver uma vida sem consequências. Talvez devesse ter trazido Cherise de volta. Mas quando a encontrei, já era muito tarde. A morte já havia feito o seu laço e Nick já havia alterado tanto o futuro, que mesmo que a sua mãe tivesse voltado, teria sido tarde demais para reparar o erro cometido. 
E agora estou atado a uma promessa que lhe fiz e não posso rompê-la. Não posso fazer-lhe mal, mesmo que em minha defesa. A maioria das palavras, uma vez dada, não pode ser retirada. Agora entendo como se sentiam as minhas irmãs. Tal como elas, eu sou forçado a esperar as consequências do que fiz. 

E odeio esperar. 


26 de Agosto: Está a chegar

A grande festa do ano. E já começou. A Simi tem estado a dar ordens como, perdoe-me a expressão, um demónio, a preparar-se para a DragonCon. Ela tem corrido de um lado para o outro a mostrar à Xirena como se veste e comporta um demónio aceitável perto dos humanos. Isto é puro entretenimento. Não posso esperar para ver os meus velhos amigos, escutar boa música e ver a Simi correr mascarada como…LOL. Disseram-me que haveria um evento Dark-Hunter com aquela autora, a Sherrilyn Kenyon. Terei que dar uma espreitadela. 
A Simi está também muito orgulhosa este ano porque inventou o seu próprio molho para churrasco. 
É um mundo aterrador o que vivemos. Mas não posso esperar. Quatro dias sem telefone e cheio de diversão. 

Paz. 



24 de Outubro: Os preparativos para o Halloween

Há alguma coisa no ar esta noite enquanto patrulho. A Simi e a Xirena estão a fazer os preparativos para o Halloween. Eu estou a ir para Nova Orleães para resolver um assunto. Uma afluência de daimons e Predadores da Noite, mas estão todavia um pouco mal coordenados. Ainda por cima, tenho que ir ao Vampiro Ball. Disseram-me que essa autora que tem revelado os nossos segredos estará lá e terá um dos seus esquivos membros da sua página web lá. Hmmm... talvez devesse dar lá um saltinho e deixar que a Simi passe o famoso molho para churrasco ali antes que cheguemos. 
De todas as formas, tenho que parar e ver como está a Marissa e os pais e também o Talon e a Sunshine. É bom ver os velhos amigos. Não importa onde esteja, Nova Orleães sempre será um lar para mim. 
E pelo caminho, vejo um daimon a rondar o caminho de um humano, não duvido onde estarão esperando o resto de seus amigos. 

Paz.

Sem comentários:

Enviar um comentário