quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Diário Secreto Acheron 2007


Diário Secreto Acheron 2007


31/12/06
Véspera de Ano Novo



Sabem... nem sequer sei por onde começar isto. Que tipo de ano será este? Posso dizer com facilidade. Este visa queimaduras, e ainda pode matar-me. Realmente entristece-me não ser capaz de ver meu próprio futuro e nem das pessoas que me cercam.
Realmente, é uma merda.
Agora estou em Nova York às portas de um maldito holocausto. Quem deixou sair os malditos demónios? Isso é tudo o que quero saber. Sim, é bom ser eu. Pelo menos Simi está feliz, ela tem bastante comida para encher a barriga. Claro que terei que imaginar como evitar que milhões de pessoas presenciem uma batalha de proporções bíblicas.
Não sei o que o próximo ano me trará e se sobrevivo esta noite, mas não tenho dúvida de que o que quer que seja, será interessante e provavelmente uma merda também.
Paz (desculpem-me enquanto rio perante isto).




03/03/07
Relações Perigosas



Depois de acabar de eliminar uns poucos Daimons esta noite, a Simi e eu fomos a um quarto de hotel e começamos a jogar DL. A Simi estava fascinada por ele e acabei por passar a maior parte dessa manhã a tentar explicar-lhe o fundamento do jogo.
Por isso amo tanto a Simi. A ideia de as pessoas manipularem a outras por si
mesmas, sem benefício pessoal, é-lhe uma ideia alheia. Desejaria poder ser tão inocente.
Honestamente, eu também nunca o entendi. Essas pessoas que chegam à tua vida e fingem ser amigas, só para te fazerem tanto mal quanto puderem. Pessoas que ficam ao teu lado, só para te ver cair. Adulam-te e dizem que estão ali para ti, e nas tuas costas falam mal de ti para os outros. Dizem a toda a gente coisas sobre ti que geralmente são mentiras e justamente porque é a natureza dessas pessoas, são bons a fazer com que as mentiras tenham credibilidade.
Creio que a natureza humana quer crer no pior dos outros. Não querem acreditar que alguém pode estar neste mundo sem querer magoar outra alma. Depois de tudo, porque deveria mentir a um amigo? O mais fascinante é que essa duplicidade seja desconhecida pelos demónios, que, segundo a humanidade, são malvados.
Foi assim como a Artemis me amarrou. Necessitava de um amigo. Havia sido abandonado por todos e só tinha tido um amigo que se voltou contra mim. Ela estendeu-me a mão quando eu estava mais vulnerável. E enquanto fiz o que ela queria que fizesse e sentia que tinha controlo sobre mim, tudo estava bem.
Mas no momento em que exerci o meu próprio controlo, isso aborreceu-a. Ela queria controlar com quem eu conversava e com quem passava tempo. Tudo bem se ela tivesse amigos e passasse incontáveis dias a falar-me neles. Mas se eu falava de alguém que não ela, deixava-me a um canto.
Mas ela não é o pior. As Artemis do mundo são fáceis de tratar. Ela pelo menos é honesta com a sua raiva e ciúmes. Isso é a única coisa que poe as pessoas umas contra as outras. Aqueles que dizem a uma pessoa uma coisa e correram aos amigos mais próximos dessa pessoa e contaram uma coisa totalmente diferente. Sujar uma parte da história e colocar as culpas noutros. Se eles não podem encontrar a sujeira, tratam de a criar. O único propósito é ferir e destruir.
Pergunto-me se isso ocorre porque as suas próprias vidas estão vazias. Talvez tenham nascido dessa maneira. Talvez tenham algo destrutivo nelas que não pode suportar o pensamento de que alguém seja feliz. Como são incapazes de ter uma verdadeira amizade, onde a lealdade exista acima de tudo, esforçam-se para demonstrar que a amizade e a lealdade não existem na realidade. Tudo isso nos leva a algumas mentiras, que bem colocadas, podem destruir anos de confiança.
Kyrian e eu tivemos esta conversa não faz muito tempo. Como podes trocar a mente de alguém e fazê-lo duvidar dos outros. “Vi o teu marido a jantar com a secretária dele ontem, e eu que pensava que estava numa reunião?” ou “Ouvi por casualidade fulano falar de ti. Se fosse tu, teria cuidado no que diria no futuro.”
Mesmo que tenhamos cem explicações aceitáveis que seriam verdadeiras, esse tipo de declaração daria voltas na mente de uma pessoa e a faria duvidar de uma pessoa que não deveria.
Isto é porque ando fascinado com uma serie de anúncios para uma companhia de seguros onde mostram muitas coisas que não são o que parecem. Como um verdadeiro conjunto de circunstâncias poderiam ser mal interpretadas com fins perversos.
Por tudo isto é que aprendi a não confiar em ninguém. Porque guardo cada coisa de mim mesmo quando isso parece tão trivial - essas coisas “triviais” que um esperto manipulador poderia usar para que outras pessoas pensem que “sabem coisas sobre ti” inclusive quando não as sabem.
Os Predadores da Noite pensam que lhes escondo algo e suponho que têm razão. Faço-o. Oculto-me a mim mesmo porque não quero que me magoem outra vez. Não quero que ninguém tenha informações sobre mim de modo que possam voltar-se contra mim e ferir-me quando não lhes der o que querem.
Quando sentirem que não me controlam.
É espantoso o mundo em que vivemos. O fato de que qualquer pessoa possa confiar nos outros surpreende-me. Mas pronto, eu pelo menos posso confiar em Simi. Desejaria que toda a gente pudesse ter uma Simi na sua vida. Alguém que sempre estaria ali, que só visse o bom em ti. Que não dissimula para justificar os seus próprios defeitos. Que não diz às pessoas nada além do maravilhoso que tu és. Mas mais que tudo, alguém que poderia viver em paz e encontrar a felicidade em algo tão simples como um par de brincos de cristal e molho para churrasco.
O mundo definitivamente necessita de mais Simis nele.







04/03/07 
Os Telemóveis são coisa do diabo

A melhor invenção de todos os tempos? O papel higiénico nas casas de banho. A pior? Os telemóveis. Era muito mau quando só tinha que lidar com as vozes que ouvia na minha cabeça. Agora essas vozes são abafadas pelos toques de telemóvel. Se o meu telefone tocar mais uma vez, creio que aproveitarei o melhor dos inventos para eliminar o pior deles e jogarei esta maldita coisa pela sanita.
Este é realmente um dia tranquilo. Dormi umas quatro horas e despertei para encontrar a Simi adormecida no sofá com o QVC no ecrã e um cartão de crédito na mão direita e o telefone na esquerda. Não sei porque é que os Charontes dormem com os pés para cima e a cabeça coberta por coisas, nem sequer sei como conseguem colocar-se em posição para dormir assim, mas é divertido de ver. Ela quer um novo gato, por isso estou a pensar em passar pelo refúgio de animais e encontrar um gato malhado para adotar. Ela quer andar no meu conversível com a capota baixada. Faz um pouco de frio para isso, mas eu suportá-lo-ei, se é para fazê-la feliz. Depois, quando tivermos o gatinho, terei uma desculpa para subir a capota.
E supostamente, o grande benefício de dirigir com a capota baixada - não poder ouvir o telemóvel.
Maldição, Simi é mais simpática do que eu sou na maioria dos dias.



05/03/07 
Humor Melhorado


Simi tinha razão. Um passeio no conversível melhora a atitude enormemente. Nada como uma viagem para fazer com que cada problema pareça insignificante.
Provavelmente irei fazer para-quedismo mais tarde. Uma boa queda livre sempre me divertiu. Depois tenho que voltar ao trabalho esta noite. Stryker está em liberdade e a passa-la bem. Sem mencionar que preciso comprovar a situação em Las Vegas. Ali à algo estranho.
Entretanto, irei de carro até o aeroporto.



04/04/2007
Não deixes que eles roubem o teu dia.


Esta noite estive a conversar com um amigo próximo e estávamos a reviver algumas das raridades do nosso passado quando ele disse algo que me impactou. Não deixes que eles roubem o teu dia. Isso era algo que o pai lhe dizia regularmente e é algo que queria compartilhar com todos vocês. É algo que sempre tenho tentado viver, mas nunca o havia visto desta maneira.
As pessoas não têm poder real sobre os outros a menos que sejamos nós que o demos - a única exceção são os deuses que podem controlar tudo. Mas com as pessoas...não há um poder real nisso. Eles não têm influência ou efeito algum sobre nós a menos que o demos. Assim para todos os que estão ai fora, digo-vos isto. A próxima vez que alguém tentar fazer-te sentir mal ou ferir os teus sentimentos, não os deixes roubar o teu dia. Este dia e amanhã e o dia depois de amanhã é o que fizeres com eles. Faz que seja o melhor e que valha a pena.
As pessoas vivem e passam através das nossas vidas. Esses que são bons e decentes deveriam ser preservados, mas aqueles que estão ali só para fazer dano e maldades, eles precisam ser cortados pela raiz. É a tua vida, e só tu a controlas.
Agora vou sair para a Simi saber que eu estou no comando. Deseja-me sorte e é melhor que me assegure que o Alexion escondeu o molho de churrasco.
Paz.


Texto corrigido: Silvia Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário