sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Entrevista a Valério Magno



1- O que faz para viver agora desde que não é um Predador da Noite?

R: Além de ser o oficial trocador de fraldas ( aparentemente Tabitha tem uma fobia sobre trocar fraldas). Gostei como ela não partilhou essas informações comigo até estar grávida.
Basicamente sou um escravo da Tabitha, faço o que ela me diz ou ela bate-me até eu deixar de respirar. Adoro como as mulheres fazem isso a nós. Também sou o contabilista da loja, a última coisa que quero é que ela seja presa por evasão fiscal. Como ela ainda não foi auditada não tenho uma ideia.
Antes de eu assumir, ela tinha recibos por todos o lado. Não admira que ela tinha tantos CPAS ao longo dos anos. Ouvi que o último que teve, passou algum tempo em uma instituição mental depois de regressar. Posso ver o porquê.

2- Como foi lutar antes da Astrid ter dado os teus poderes? Qual tipo de poderes gostaria de ter?

R: Não foi divertido, pelo menos. Parecido com tentar controlar um leão raivoso com um mata-moscas. Mas a boa coisa em ser um antigo general é que tenho muita experiência, indo contra as probabilidades impossíveis e virando-os a meu favor.
Quanto aos poderes que gostaria de ter, era a capacidade de controlar a família da minha mulher, não seria mau. Ah, e mudar magicamente as fraldas sem tocar. Eu ainda não descobri que alimentos come Valerian para produzir algumas coisas que vi sair dele. Se eu não soubesse, iria jurar que a Simi andava a partilhar petiscos com ele.

3-  Como está lidando com a família Deveraux?

R: Alguns dias são melhores do que outros. Eles na verdade, não são assim tão ruins, uma vez aceite o facto de que eles são todos loucos, e que você não vai conseguir ter uma conversa com um sem sentir que a sua cabeça vai explodir. Dito isto, eles são muito divertidos. Nunca estás entendiado e o melhor são as chamadas tardias quando alguém precisa resgatar o dinheiro. Sim, eu poderia ser um comediante apenas contando as suas histórias sozinho. Bill mantêm-me sã a maior parte.  Ele têm um monte de bons indicadores para sobreviver  no meio loucura. Mas eu não trocaria um minuto com qualquer um deles. Eu amo a minha família com insanidade e tudo.

4- O que significou para ti, descobrir que o Zarek era teu irmão? E como é o teu relacionamento hoje em dia? 

R: Foi um choque em primeiro lugar. Nunca pensei vê-lo novamente. Mas estou muito feliz que ele viveu e que as coisas melhoraram para ele. Apesar de tudo, sempre o amava como um irmão e estava enjoado com o que a minha família fez com ele. Eu não iria dizer que somos chegados mas está ficando melhor. Pequenos passos, você sabe? Falamos de ver em quando.


5- Vais ensinar o Valerian a lutar? 

R: Já está nele. A última coisa que quero para o meu filho é que ele seja uma vítima. Isso é uma coisa que eu e a Tabby concordamos sobre a paternidade. Se você não souber lutar, então nunca saberá como ganhar. Mas também não quero que ele seja um bully.

6- Como são os teus Natais?

R: Caos. Completamente e absolutamente. Temos sempre uma pequena comemoração em nossa casa e, em seguida, passamos a maior parte do dia de Natal em casa de alguém. As irmãs giram para ser as anfitriãs  do dia. E o que fazemos depende do nosso anfitrião e  a religião que ela prática.
A única coisa que nunca muda é que há uma abundância de comida e presentes em seu redor.
Uma coisa que tenho de dizer sobre o clã Deveraux, seu lema oficial da família, é nada vale a pena fazer, vale a pena exagerar. 

7- Vamos voltar a ver Valério e Tabby noutros livros?

R: Sim, eles definitivamente vão aparecer em muitos, muitos livros.



Veja Também:

Sedução Na Noite - Seize The Night

Perfil de Valério e da Tabitha



Sem comentários:

Enviar um comentário